quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Xadrez do MPF como ameaça à democracia

Xadrez do MPF como ameaça à democracia

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Xadrez do esperto e do sabido na cooperação internacional

Xadrez do esperto e do sabido na cooperação internacional

sábado, 25 de abril de 2015

massagem tântrica

reforçando o conhecimento sobre massagem tântrica: https://youtu.be/orklnRP7R84  vejam e comente embora o texta esteja em inglês é possive compreende-lo

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Benefícios da massagem vão além do relaxamento


The New York Times
Uma boa massagem faz mais que apenas relaxar seus músculos? Para descobrir, pesquisadores do Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles, recrutaram 53 adultos saudáveis e aleatoriamente submeteram 29 deles a uma sessão de 45 minutos de intensa massagem sueca, e os outros 24 a uma sessão de massagem leve.
Foram inseridos cateteres intravenosos em todos os participantes, para que amostras de sangue fossem colhidas imediatamente após a massagem e novamente uma hora depois.
Para surpresa dos pesquisadores, patrocinados pelo Centro Nacional de Medicina Complementar e Alternativa, uma divisão do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, uma única sessão de massagem foi capaz de causar alterações biológicas em quem a recebia.
Os voluntários que foram submetidos a massagem sueca experimentaram reduções significativas nos níveis do hormônio do stress cortisol no sangue e saliva, e no nível de um outro hormônio que pode causar elevações de cortisol. Eles também tiveram aumento no número de linfócitos, os glóbulos brancos do sangue que fazem parte do sistema imunológico – responsável pelas defesas do corpo.
Os voluntários da massagem leve experimentaram elevações da oxitocina, um hormônio associado ao contentamento e à confiança, maiores que no grupo da massagem sueca, e reduções mais acentuadas de um hormônio que estimula as glândulas adrenais a liberar o cortisol.
O estudo foi publicado online em “The Journal of Alternative and Complementary Medicine”. O principal autor, Mark Hyman Rapaport, diretor de psiquiatria e neurociências comportamentais do Cedars-Sinai, afirmou que as descobertas são intrigantes e instigantes.
Por Roni Caryn Rabin

segunda-feira, 16 de março de 2015

O efeito bactericida da luz azul

O efeito bactericida da luz azul, por Luiz Fernando Dias Fº

Há alguns anos já se conhece os efeitos da luz, dentro do espectro visível na faixa do azul, sobre as bactérias, fungos e vírus. Certas frequências de luz azul são capazes de exterminar bactérias.
Desde então foram desenvolvidas técnicas medicinais, principalmente na área dermatológica, ondel a luz de LED azul é aplicada no tratamento de infecções bacterianas leves e moderadas com excelentes resultados. Nestes casos esta simples luz, aplicada por cerca de meia hora, pode acabar com infecções da pele e tecidos moles do corpo humano.
Normalmente os tratamentos que utilizam luz, chamados de terapias fotodinâmicas, combinam um fotossensibilizador, além da luz. Mas para o tratamento de infecções os fotossensibilizadores são geralmente descartados, pois grande parte das bactérias e das superbactérias não absorvem esta substância, impedindo que a reação desencadeada pela ação luz + fotossesibilizador se desenvolva.
A luz azul do espectro visível estimula um subproduto metabólico das células (as porfirinas) a produzir por oxidação um tipo de oxigênio altamente reativo. Este elemento reage fortemente com o hidrogênio presente na membrana citoplasmática das células e produz grande quantidade de água dentro do limite citoplasmático da célula, criando um mecanismo de hiperidratação e expansão por compressão dos tecidos.
A porfirina segue seu caminho metabólico até ser excretada para fora da célula. Ao ser estimulada pela luz azul, ocorrerá a produção do oxigênio reativo que reagirá com dois íons localizados na membrana citoplasmática. Desta maneira, ocorre uma inversão de polaridade na membrana do citoplasma celular, impedindo as trocas metabólicas que levarão a célula à desidratação.
Dr. Michael R. Hamblim, do Hospital Geral de Massachusetts, desenvolveu estudos com cobaias que sofreram queimaduras e foram propositalmente infectadas com a bactérias P. aeruginosa, uma das principais “superbactérias” atuais, que tem grande resistência a antibióticos.
Os animais foram dividos em dois grupos, e todos os que foram tratados apenas com a luz de LED azul sobreviveram, já no segundo grupo, que não recebeu tratamento, 82% dos animais morreram.
A luz azul também produz pouquíssimos danos às células humanas em comparação com a irradiação com o ultravioleta.
No entanto todos estes estudos e técnicas desenvolvidos foram basicamente para infecções superficiais, mas o grande dilema da ciência era como levar até partes mais interiores do organismo, e tecidos duros como músculos, este tipo inovador de tratamento, já que este tipo de onda tem baixa penetração na pele. É aí que entra o brasileiro Caio Moreira Guimarães.
O aluno de engenharia elétrica da Escola Politécnica de Pernambuco – POLI/UPE, bolsita do Programa Ciências sem Fronteiras, é integrante da equipe do Ph.D Andy Yun, inventor do primeiro LASER feito a partir de material humano e animal, e professor/pesquisador do Wellman Center, laboratório de Harvard.
Ele foi primeiramente para a Hofstra University, em Nova Iorque, onde cursou dois semestres de engenharia elétrica biomédica, mas seu objetivo era entrar no Wellman Center e para isto enviou mais de dois mil e-mails a professores de lá solicitando uma vaga. Recebeu apenas duas respostas e uma delas era do Dr. Yun, que pediu detalhamento do projeto que Caio gostaria de desenvolver.
A ideia de Caio foi engendrar uma maneira que a luz chegasse aos tecidos de forma eficiente e para isto dois equipamentos foram desenvolvidos, capazes de emitir e transmitir luz visível para os tecidos humanos em uma frequência específica, além de geometrias das agulhas utilizadas, ambas dependendo do tecido e da profundidade em que a infecção se encontra.
O emissor é uma lanterna portátil com lâmpadas de LED azuis que pode ser levada no bolso e utilizada em qualquer local. Este é o primeiro equipamento. O segundo é uma matriz com várias microagulhas que são colocadas sobre o ferimento, pressionadas para penetrar nos tecidos e assim conduzirem a luz recebida da fonte até os locais infeccionados, eliminando a infecção em cerca de uma hora de tratamento.
“Conseguimos otimizar a entrega de luz em 300%, permitindo atingir bactérias em partes mais profundas. Como é biocompatível, a agulha pode ser absorvida pela pele e tem menor risco de alergia”, disse Caio.
Nesta terça (30/12) ele dará uma entrevista para o Portal Ciência sem Fronteirashttp://mycsf.com.br/ em que falará em detalhes sobre o projeto.
Em breve ele retornará ao Brasil para desenvolver pesquisas na Universidade de Pernambuco (UPE) dos protótipos que serão aplicados em colônias de bactérias encontradas em hospitais aqui do país, associadas aos casos de infecção generalizada.
Tratando de infecção generalizada, quem sabe em breve, já engenheiro, ele e sua equipe de futuros estudantes, não desenvolverão uma forma de aplicar a luz azul com a finalidade de eliminar bactérias no sangue, através de um equipamento acoplado à diálise. Talvez assim Pelé não tivesse sofrido tanto com a infecção que lhe deixou em estado crítico, e obviamente centenas de milhares de pessoas ao redor do mundo se beneficiariam com um tratamento mais rápido e eficiente que o atual.
Os brasileiros inventaram e desenvolveram o avião, a máquina de datilografia, o BINA, o papel fotográfico, o walkman, o coração artificial, o balão, a produção de hidrocarbonetos em águas profundas e ultra-profundas, dentre tantas outras coisas, e continuaremos a inovar com Nicolelis, Caio Guimarães e tantos outros que surgirão.
Nosso país sempre foi cheio de talentos e ideias, que se forem fomentadas corretamente, como é neste caso específico com o Ciência sem Fronteiras, nos levarão a elite tecnológica que um país do tamanho do nosso tanto almeja.
Luiz Fernando Dias Filho é técnico em exploração de petróleo na Petrobrás, técnico em Geologia e Mineração (IFRN) de formação, graduado em Tecnologia em Materiais no IFRN e mestrando em Engenharia de Minas na UFPE.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

vou estar a disposição para quem desejar massoterapia domiciliar no período carnavalesco salvador, 71/92748480, 86150745 whatsapp 7192748480

terça-feira, 2 de abril de 2013

Massagem com ervas (Marcin Bober/Wikimedia Commons)
Massagem com ervas (Marcin Bober/Wikimedia Commons)
Na China, a massagem foi e ainda é em muitas regiões muito mais popular do que analgésicos e anti-inflamatórios.
A habilidade dos massagistas, mesmo dos que você encontra em uma pequena viela ou num salão de cabeleireiros, é admirável: dor de cabeça, lombalgia, torcicolo, cansaço, estresse, cólica menstrual e muitas outras condições podem ser sanadas por um bom massagista em minutos.
A China foi o berço das mais tradicionais técnicas de massagem. Existiam diversos nomes, mais ou menos genéricos, que denominavam as várias técnicas, como An-Ma, Ma-Ça, Tui-Na etc,  que com a unificação e a formalização da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), unificaram-se sob o termo genérico ‘Tui-Na’. A Tui-Na é, portanto, um ramo ou forma terapêutica utilizada dentro da MTC, por médicos ou terapeutas, inclusive em hospitais de grande porte da China.
É bem provável que o termo ocidental ‘massagem’ tenha derivado do termo chinês Ma-Ça. O próprio termo Do-in, muito conhecido no ocidente, é quase certamente derivado do termo chinês Tui-Na. Isso porque em muitas regiões da China, a mesma palavra tem diferentes pronúncias, devido aos diferentes dialetos e formas de pronúncia particulares.
Há milhares de anos, os chineses já aplicavam as massagens em inúmeras doenças e distúrbios, com resultados excelentes. Boa parte desse conhecimento disseminou-se à população por meio dos mestres e praticantes taoístas, que conheciam os canais de energia que permeiam o corpo humano, assim como os diferentes tipos de energia que constituem os seres humanos, suas inter-relações e as formas de reequilibrá-las e restabelecer a harmonia e a saúde.
Mas, esse conhecimento atravessou fronteiras e muitos países do oriente foram influenciados e beneficiados pela MTC. Um exemplo foi o Japão. Nos primórdios da colonização do Japão, muitos conhecimentos vieram da China – por monges, médicos, eruditos e outros – e entre esses a MTC. Esses conhecimentos foram sendo assentados e transformados pela própria cultura japonesa e assim o Japão adaptou os conhecimentos da acupuntura chinesa, formando a própria acupuntura japonesa. O Tui-Na transformou-se na massagem japonesa conhecida como Shiatsu.
Na prática
Hoje, no ocidente, os conhecimentos da MTC são bastante difundidos, ainda que suas raízes originais e mais sábias tenham sido perdidas ou censuradas pelo governo comunista chinês – este supôs que todos os conhecimentos que provieram dos sábios ou mestres espirituais do passado eram superstições e deveriam ser censurados e eliminados dos textos originais ao serem ensinados para o povo.
Então, pode-se encontrar em quase todo ocidente massoterapeutas que aplicam a Tui-Na, e optar por tratamentos bastante eficazes para distúrbios orgânicos, musculares, circulatórios, tensionais, etc.
Existem muito livros atualmente que ensinam algumas das técnicas e meios que são utilizados na Tui-Na, ou mesmo livros técnicos bastante completos sobre essa forma terapêutica.
A técnica Do-in é basicamente uma redução da Tui-Na.  Os livros de Do-in são bastante acessíveis e descrevem métodos e tratamentos para distúrbios simples como cefaleias, lombalgias, torcicolos, resfriados, sinusite, cansaço etc.
São muitas as vantagens do uso da automassagem ou da massoterapia aplicada por um profissional em relação ao uso de remédios químicos. A massagem reequilibra o funcionamento dos órgãos, dos tecidos, das energias e dos sistemas orgânicos, aumenta a imunidade e fortalece o organismo, aumenta o relaxamento e ao mesmo tempo o tónus muscular, reduz o estresse, a ansiedade, a angústia, a agitação mental, melhora a depressão etc. Além disso, seus efeitos anatômico-funcionais (em torcicolos, torções, bloqueios articulares, desvios da coluna e outros) são muito superiores ao uso isolado de remédios, como analgésicos e anti-inflamatórios.
Alguns distúrbios que podem ser tratados pela Tui-Na são: angústia, ansiedade e estresse; fraqueza, cansaço e baixa vitalidade; pressão alta ou baixa; distúrbios ginecológicos (distúrbios menstruais, cistos ovarianos etc); torções, tensões e dores musculares; problemas de coluna e dores articulares; lesão por esforço repetitivo (LER), tendinite, bursite; distúrbios gastro-intestinais, etc. Vale a pena procurar um bom profissional que aplique a Tui-Na.
Alberto Fiaschitello é terapeuta naturalista e cientista social 

domingo, 6 de dezembro de 2009

O poder do toque para o seu bem-estar



Aprenda a fazer automassagem para abrandar desconfortos
O poder do toque para o seu bem-estar
Qual a primeira coisa que você faz quando dá uma joelhada em alguma quina? E quando prende o dedinho do pé na beirada de algum móvel? Imediatamente após ou simultaneamente ao grito de dor, você põe a mão em cima, não é? E na hora de consolar aquele choro soluçado de criança, o seu primeiro reflexo é abraçá-la? Repare que o toque, mesmo num nível inconsciente, é uma atitude natural de abrandar o desconforto, algo que praticamente todos fazemos sem prestar muita atenção.
Algumas pessoas provavelmente se surpreenderiam com a relação entre a saúde e o toque ou a massagem - que é uma extensão natural do toque e a denominação mais universal para o ato de manipular regiões do corpo. No entanto, Hipócrates, considerado o "pai da medicina" pelo ocidente, já reconhecia e indicava este recurso na prática. E muitos povos desenvolveram técnicas para a prática da massagem. Na China, por exemplo, é usada para avaliação, diagnóstico e tratamento de desequilíbrios.
Como diz aquele ditado popular, todos nós temos um pouco de médicos. E podemos somar ao conhecimento que naturalmente possuímos sobre o toque, informações sobre pontos de Acupuntura para a automassagem. Podemos aprender em quais situações a prática do -Do-In ou as "receitas caseiras" da massagem oriental podem ser utilizadas.
Acompanhe os exemplos e ilustrações abaixo:
A manipulação deve ser bilateral, mas comece com um de cada vez até dominar a localização. Utilize o dedão como se você estivesse marcando sua impressão digital com um pouco mais de força e firmeza. O tempo de compressão dos pontos deve variar de 30 s até 3 minutos. A pressão não deve ser vigorosa na primeira vez que tentar.
Acompanhe os exemplos e ilustrações abaixo:
Acompanhe os exemplos e ilustrações abaixo:
Ponto para dor no ombro. Fica mais ou menos no meio entre as extremidades dos ombros e a base do pescoço
Acompanhe os exemplos e ilustrações abaixo:
Acompanhe os exemplos e ilustrações abaixo:
Ponto para dor no punho. Fica no meio do pulso: no início do antebraço, na direção do dorso da mão, no sentido do dedo médio.
Acompanhe os exemplos e ilustrações abaixo:
Acompanhe os exemplos e ilustrações abaixo:
Ponto para dor de cabeça. Faça o número 4 com as mãos: o ponto está localizado exatamente na dobra entre o polegar e o indicador.
A influência dos diferentes pontos de vista na automassagem
Não podemos deixar de lado uma peculiaridade no mecanismo do raciocínio médico oriental: enquanto na medicina do ocidente os males são atacados geralmente em função de sintomas físicos manifestos, como "dor de cabeça", "dor muscular" ou "alergia", por exemplo, na medicina chinesa os padrões de desequilíbrio que podem gerar esses sintomas são diversos, por isso são diferentes os pontos de tratamento para dores de cabeça de etiologia (origem) alimentar ou produzidos por fadiga, por exemplo.
Segundo a medicina tradicional chinesa, sem a compreensão do desequilíbrio, as receitas de pontos são apenas receitas. Cada pessoa funciona de um jeito próprio e não somos tão simples quanto as identificações que criamos em função de nossas mesmas "doenças". Assim sendo, como a prática de qualquer tratamento holístico requer uma abordagem individual, não há uma forma definitiva de garantir que a estimulação destes pontos funcione como uma cura para o seu problema, mas você pode utilizá-los para o alívio de algumas queixas, observando restrições importantes que existem para a sua segurança:
  • A parte da frente do pescoço é uma área sensível e deve ser evitada devido a passagem de veias e artérias vitais.
  • A parte de trás do pescoço deve ser manipulada com cautela, observando reações de alteração da pressão arterial.
  • A pressão exercida sobre pontos próximos ou sobre as costelas não deve ser aplicada com vigor, devido à fragilidade das articulações.
  • Nenhum processo inflamatório deve ser diretamente manipulado. Se uma área dolorida estiver quente, inchada e avermelhada, não aperte. Se a pressão exercida em qualquer área dolorida piorar a dor, não aperte.
  • A estimulação de pontos é contra-indicada em casos de doenças degenerativas como câncer e osteoporose. Somente deve ser utilizada durante a gravidez por profissionais qualificados.
autor : Gustavo lunz
fonte: http://entretenimento.br.msn.com/astrologia/artigo.aspx?cp-documentid=21702471